Thursday, August 20, 2009

limpidez de estrelas
à volta de uma fogueira nas fragas
magia de um tempo esquecido
em que a limpidez se reflecte nos rostos de todos nós
contadores de estórias infinitas
as mãos tacteiam o fogo
que do peito se solta
não creio que amanheça
a magia permanecerá em nós
minuto após minuto
dos rostos fracamente iluminados pelas labaredas
sonhos desgovernados na ponta dos dedos
calor que se aconchega às pernas
(e à alma)
tenho linhas e linhas de estórias para contar-vos
sob a viola do marco
palhaço que a vida transformou em todos nós
nas rédeas de um tempo solto
que a realidade jamais roubará
tenho estórias na ponta dos dedos
acolhe-as em tuas mãos
conta-as no teu sorriso dedilhado
o universo beberá as tuas impressões
impregnadas de bondade e anseios
são estes os momentos que permanecem
para sempre na memória inapagável de cada um de nós
são estes os momentos de magia
que mais tarde recontaremos em cada fogueira extinta
são estas as estrelas que levamos connosco
as estrelas e os sorrisos inocentes
que em nossos peitos permanecerão

md