Thursday, May 15, 2008

tenho fome

tenho fome de uma comida que não se mastiga. tenho fome de terras e de gentes. tenho fome de lugares inéditos em que os dias pararam e a sorte lhes sorri. tenho fome de intocáveis segredos e rostos presentes. tenho fome de dias e dias em que uma chuva miudinha nos sussurra "vai corre que o mundo se abre; vai corre que os mares são teus". tenho saudades de ventos e passados por concretizar. são meus os dias desencontrados que lês. são meus os pontos que apagas ao longe a cada adormecer. são meus os passos que se desencontraram dos dias. são meus e é minha esta fome de tudo o que a voz do corpo não sustém nem apazigua.

marta dutra