Wednesday, May 23, 2007

Ilha - Natércia Fraga

.
António Dacosta


Terá sido o vento o mar as gaivotas
Ou a distância
O horizonte perdido o bramir dos temporais
Ou a distância
A solidão da aldeia o espanto da cidade
Enredado em penas de pavão bolos de chocolate e surpresa
A idade tão jovem e a velhice do mundo
Ou a distância
Que naquele cais à luz da noite
Degraus assustados e tentadores
Para a lancha
Reduzida a ser criança
Me levaram os olhos escuridão fora
Durante tempo infinito
E só depois mos devolveram
Entristecidos sonhadores fundos como o mar?

Ou terá sido a ampla misteriosa distância
Que se colava ao horizonte? ...
Natércia Fraga, Ilha

1 comment:

jose augusto soares said...

Tivemos coincidência de tema.

Na verdade, o mar é fascinante.

Belo poema.