Saturday, April 14, 2007

tenho aquela que me olha e que olho - josé luís peixoto

Foto: Mateus Moreno in http://www.olhares.com/mcm250680


tenho aquela que me olha e que olho
e misturamo-nos como brisas e
silêncios e digo tenho aquela que
me vê e ela olha-me e tudo o
que somos é uma partilha uma
mistura e digo diz e aquela que
tenho beija-me num olhar e num
silêncio que não posso dizer
.
como não tenho lugar no silêncio onde morrem as gaivotas,
despeço-me no oceano e deixo que o céu me conheça.
talvez a serenidade possa ser as minhas mãos a serem uma
brisa sobre a terra e sobre a pele nua de uma mulher.
esse dia, esperança de amanhã, poderá chegar e estarei dormindo.
hoje, sou um pouco de alguma coisa, sou a água salgada
que permanece nas ondas que tudo rejeitam e expulsam
na praia. as gaivotas sobrevoam o meu corpo vivo. os meus
cabelos submersos convidam o silêncio da manhã, raios de sol atravessam
o mar tornados água luminosa, aqui, estou vivo e sou alguém
muito longe.
.
José Luís Peixoto in a criança em ruínas

2 comments:

Graça said...

Gosto muito de José Luís Peixoto. E agrada-me sempre reencontrá-lo de vez em quando na blogosfera. Coincidências. Este é, aliás, por muitas razões,um blog de bom gosto, por onde apetece viajar.

Até breve.

Beijinho dos Açores,

Graça

marta dutra said...

obrigado Graça. mediante o tempo disponível, irei sempre adicionando textos q me pareçam interessantes. o blog está aberto a todos os q queiram nele participar, desde q vão de encontro ao conceito presente, bastando para isso entrar em contacto comigo para martadutra7@gmail.com

abraço das ilhas :-)

Marta