Wednesday, March 14, 2007

Pico - Manuel Alegre

Foto: Marta Dutra - Faial


INICIAÇÃO

Gostava de aprender a linguagem do peixe.
O recado do golfinho para o golfinho
A fala da baleia.
Ou o grito da gaivota para a gaivota.
O som inarticulado de qualquer latido.
Ou o simples zumbido. Ou o silêncio
carregado
de sinais.
Talvez então o sentido primordial.
O ritmo inicial e iniciático do poema.
A batida do mar. A batida do vento.
A batida da terra.


ILHA DE BRUMA

Eu buscava uma ilha sobre o vento e a espuma
a que só era de ser a sempre ausente
ilha nenhuma.

Agora tenho-a à minha frente
ilha de bruma

Buscava um lugar santo um canto um cântico
um triângulo mágico uma palavra um fim.
E vejo um grande pico sobre o atlântico
e uma ilha a nascer dentro de mim.

in Pico - Manuel Alegre

1 comment:

Frederico Navarro said...

Acho que nunca me cansaria de contemplar aquele cinzento imenso à beira-mar, que para mim é o Pico! Apesar de parecer um lugar inóspito e solitário, não deixo de me sentir atraído por ele.